Autenticidade – seja você mesmo

Inspirar-se em grandes nomes da música é normal e não deve se recear.

Somos influenciados pelo que ouvimos insistentemente.  Na qualidade de músicos, buscamos acompanhar a trajetória de nossas referências e tentamos obter os mesmos supostos equipamentos, timbres, copiar as mesmas frases musicais… e quando damos conta, onde está a autenticidade?

 

Conhecer a si mesmo (como já dizia o filósofo Sócrates no Séc V a.C), é essencial. Quem somos e como conseguiremos nos expressar verdadeiramente?

 

No meio de tantos músicos, raro é aquele que conhece a si, busca seus timbres, suas frases, sua forma particular de tocar e acima de tudo DIVERTIR-SE. Creio que muitos acabam esquecendo o quanto é prazeroso tocar sem a neurose de querer ser o que não somos ou enveredar-se por comparações infrutíferas.

 

Há espaço pra todos… exceto para as cópias, sugiro que reflita a respeito. Qualquer caminho é válido quando não se sabe onde se quer chegar e esta é a grande armadilha. Ansiedade é um mau por si, não respeitando o tempo de aprendizado e/ou limites físicos e mentais.

 

Tenha paciência, disciplina e  acima de tudo prazer em tocar, pois se não houver diversão é indício que algo está errado… a música vem do interior e não o contrário; você está ouvindo as melodias que pulsam em vosso coração e mente ou está preocupado de mais em impressionar ou querer ser um outro alguém?

2 respostas para “Autenticidade – seja você mesmo”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *