NÃO propague o mau.

Com o advento e a popularização da internet, surge em sua ampliação recursos por apps como Netflix, Crakle, YouTube entre outros, mudando mais que consideravelmente nossa maneira de se entreter e criar conteúdos. A descentralização midiática fomenta espaço a todos com facilidade sem altos custos, porém um gigantesco volume de informações sem filtros do que é verdadeiro ou falso, conhecimento ou falácia etc, transformando a nossa cultura. 

Muitos amigos e alunos me questionam do fato de eu não usar certas estratégias para angariar mais inscritos e visualizações. É comum vídeos no YouTube citando determinados “artistas”, vídeos respostas ou até mesmo criar desavenças (famosas tretas) para conquistar mais inscritos e visualizações. 

Tudo é uma questão de foco e valores. Acredito que na qualidade de professor e formador de opinião, que devemos divulgar somente o bem, conscientizar, buscando não citar o mau afim de não lhe dar ainda mais espaço. O mau já possui muita visualização e divulgação, infelizmente! 

Incontáveis são os que reclamam de canais do YouTube alimentados com conteúdo ruins, porém porque você não cria e/ou divulga coisas de qualidade? Procuro ativar sempre meu filtro. Se por acaso recebo algum conteúdo agressivo, ofensivo, péssimo artisticamente, simplesmente barro, não compartilho e também não comento para não impulsionar. 

O índice de relevância é criado através das visualizações, comentários, likes e deslikes, assim sendo o ideal é ignorar o post/vídeo e divulgar apenas conteúdos de boa qualidade no lugar. Muitos acabam descobrindo canais e “artistas” de péssima qualidade por repostagem criticando os mesmos…”falem bem, falem mau, mas falem de mim”, esta frase de marketing é aplicada constantemente, mas devemos simplesmente não falar. 

Em suma. Enquanto o mal for ousado e o bem atuar timidamente, espere dias piores, com baixeza cultural e valores atrozes pois anular o bem que podemos fazer é um mal em si mesmo, sendo coniventes. Não adianta reclamar de braços cruzados. 

Vamos divulgar coisas boas e criar bons conteúdos? Não protele….FAÇA. 

DESLIGUE o WI-FI

DESLIGUE o Wi-Fi

A vida moderna e seus contratempos cotidianos. Nos vemos atordoados com tantos compromissos ditos “irrevogáveis” em nossa agenda exaustiva e acelerada. 

Lhe pergunto, porém seja sincero consigo mesmo. Qual foi a última vez que ficou pelo menos uma hora refletindo sobre sua vida? Sobre si mesmo?

Em meados da década de 80, lembro claramente o almoço em família. Dialogávamos um com os outros e ao anoitecer pós janta, sempre havia o espaço para discutir como foi o dia na escola, trabalho, as responsabilidades no lar e família, além dos ensinamentos educativos dados pelos pais. No dito horário nobre, era tecido diálogos de nobreza em família. 

A era da TV com suas insuportáveis e inúteis novelas atrapalhavam como ruídos dissonantes em nossas comunicações, porém nada mais nocivo que atualmente com o advento da internet no final da década de 90, porém mais precisamente com a onda Wi-Fi e seus celulares smartphones – verdadeiras máquinas de controle mental, capaz de transformar pessoas em zumbis. 

Se por um lado a internet nos possibilita ampliar informação, conhecimento e aproximarmos de pessoas queridas distanciadas por km, nos distancia das importantíssimas ao nosso redor e percepção da realidade. Raras exceções encontrarmos em um almoço pessoas olhando olho no olho, conversando, trocando conhecimentos e paradigmas pois o Wi-Fi está sempre ligado. 

Observo pessoas caminhando pelas ruas cegas em seu celulares, motoristas imprudentes conectados, ao volante, pessoas no horário de trabalho acessando redes sociais….como zumbis deslizando os dedos na busca frenética por feeds de notícias e se esquecendo de observar a sua volta. 

Acreditem. Há um mundo real para se viver. Sem maquiagem, pálido muitas vezes, mas ainda sim real, com sentimentos e valores verdadeiros e não espasmos histéricos de vaidade em busca de aceitação. 

Faça um favor a si mesmo. Aprenda a desligar o Wi-Fi.  

Se permita dedicar alguns minutos meditando sobre si mesmo e sua vida. Esteja com entes queridos e amigos verdadeiramente, seja honesto no trabalho não roubando horas na frente do celular, desligue o celular de preferência no trânsito, coloque limites de uso principalmente se tiver filhos, mude a si mesmo para ser um exemplo e ter a moral necessária para corrigir seus filhos. 

Já pensou quantos livros poderia ter lido? Quantos cursos e atividades presenciais poderia ter feito dedicando o mesmo tempo longe do Wi-Fi?

A vida é muito breve e infelizmente as pessoas se importam muito mais em nutrir seus avatares sociais do que viver a verdadeira vida. Má educação e imprudência se combinam. 

O tempo não perdoa!!!

…pense nisso.